Diminuir Fonte Aumentar Fonte Enviar por e-mail Enviar Imprimir Imprimir PDFPDF Voltar Voltar Compartilhe Compartilhe

Notícias

Guarani: Safra 2014/15 traz marco da mecanização da colheita e ampliação da cogeração de energia elétrica


Olímpia, 27 de março de 2014 - A estimativa da Guarani é colher 98% da cana própria mecanicamente na safra 2014/15, que se inicia na Companhia no próximo dia 1º de abril.               
 
Produtores paulistas de cana-de-açúcar têm até o final deste ano para cumprir o Protocolo Ambiental firmado entre a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e o setor em 2007. O documento prevê o fim da queima da palha da cana em áreas mecanizáveis em 2014. O prazo vai até 2017 para as áreas em que não é possível utilizar máquinas para colheita. 
 
A mecanização também se estende para o plantio da cana. No ciclo 2014/15, o plantio será 85% mecanizado na Guarani, isso representa um grande salto comparado à safra 2012/13 quando foi registrado índice de 34%.
 
"Técnicas de agricultura de precisão e investimentos na renovação de canaviais vão nos auxiliar a aumentar a produtividade da cana-de-açúcar. Nessa safra 2014/15 a empresa vai renovar 18 mil hectares de canavial", afirma Alberto Pedrosa, diretor presidente da Guarani. "Ainda avaliamos o impacto da seca que atingiu nossa região produtora no início do ano, mas trabalhamos para superar as 19,7 milhões de toneladas processadas na safra anterior."
 
Cogeração de energia elétrica
 
A safra 2014/15 também marca o avanço do projeto de ampliação da cogeração de energia limpa na Guarani. Autossuficiente em energia gerada a partir do bagaço da cana-de-açúcar, a Companhia estima comercializar mais de 1 milhão de MWh na atual safra, o que representa um aumento de 40% em relação à safra anterior.
 
A empresa já faz testes para o aproveitamento da palha da cana para geração de energia.
 

 

Última Atualização em 31 de Março de 2014

Localização e Unidades Produtoras

Presença Global

Saiba mais
Condições de Uso - Política de Privacidade ©2013, Tereos Internacional. Todos os direitos reservados.